Natal mais uma vez

O Natal mais uma vez se faz presente. Nas lojas e pelas ruas, os enfeites, os presentes, as ofertas, tudo nos faz lembrar, e também preocupar-se, com esta “festa global” que está chegando. Porém o que queremos ganhar de Natal, o que queremos conseguir neste dia especial, como nos preparamos?

Ainda que possamos falar do Natal como uma “festa global”, uma “festa de todos”, isso não quer dizer que todos reconheçam o porquê do Natal. Não basta pensar que no Natal todo mundo é bom e, por isso, sentir um “ar diferente”; não basta cumprimentar a todos, desejar “tudo de bom”, ou mesmo arrumar o presépio; não basta pensar que podemos ter esperança de paz no mundo, tranquilidade no país, harmonia na minha família. Não basta porque todas essas coisas não podem ser compradas, não se encontram em vitrines, mas ainda assim são presentes que podemos receber, dons que nos podem ser dados, se recebemos Aquele que no-los quer dar.

A cada Natal, as palavras de São João nos questionam: “Veio para o que era seu, mas os seus não o receberam” (Jo 1, 11). Conhecemos a história do menino que estava para nascer e seus pais não encontravam um simples lugar para passar a noite, para que sua mãe pudesse dar à luz com alguma dignidade; conhecemos a história de Jesus, Maria e José. Conhecemos a sua história de rejeição, mas quando é que abrimos o nosso coração para Ele? Temos tempo e espaço para Ele em nossas vidas? Será que não somos também nós aqueles que o rejeitam e dizem: “Sinto muito, não há lugar”, “Sinto muito, não tenho tempo”, “Sinto muito, agora não posso”. Não é curioso que quanto mais rápido podemos fazer as coisas, quanto mais tempo economizamos em tarefas que antes eram demoradas, menos tempo temos para Ele?

É nesse momento que São Paulo vem e nos exorta: “Não vos conformeis com este mundo, mas transformai o vosso modo de pensar” (cf. Rm 12, 2a)! Uma verdadeira transformação no nosso pensar é criar em nossa vida, em nosso tempo, um espaço a fim de que Cristo possa entrar. Ele bate mais uma vez à porta de nosso coração e nos convida a redescobrir neste Natal os valores mais profundos da vida: a fé, a esperança, a família, a amizade e sobretudo a caridade.

Vivamos de forma diferente este Natal, procuremos deixar um pouco de lado as coisas materiais e abramos nosso coração à simplicidade de Jesus Cristo que quer nascer em nossos corações. Deixemos que a força de seu Espírito nos faça também homens e mulheres simples, despojados, capazes de acolher o Cristo presente em nossos irmãos, capazes de dedicarmos tempo àqueles que precisam, a nossa família e, sobretudo a Deus.

Um Santo Natal para você e sua família. Deus os abençoe!

 Antônio Dilben Rabelo Fleming
Fundador e Moderador Geral
da  Comunidade Católica Mar a Dentro 

Print This Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comunidade Católica Mar a Dentro – Discípulos e Ministros da Obediência e da Paz
E-mail: maradentro@maradentro.com.br ✺ Tel: (+ 55) 17 – 3222-4436

Copyright 2017 © Todos os direitos reservados