Comunidade Católica Mar a Dentro

Monumento à criança que nunca nasceu

Em 3 de novembro de 2011, na festa de Todos os Santos, realizou-se a bênção do “Monumento à criança que nunca nasceu”, na cidade de Bardejovski Novej Ves, na Eslováquia.

O esforço, mas especialmente a séria preocupação, do Grupo de Oração de Mães da paróquia de Bardejovski Novej Ves, que perceberam que atualmente, muitos de nossa sociedade veem o nascituro, o feto, como “alguma coisa” e não como “uma criança, um homem”, possibilitaram a realização desta obra.

O monumento em si é cheio de significados: a mãe tem as costas viradas para a igreja – sinal do homem que volta as costas para Deus, que se considera Deus ao ponto de poder decidir sobre a vida de crianças ainda não nascidas. A criança do monumento demonstra o seu perdão no gesto de querer acariciar sua mãe, que sofre com a permanente dor do arrependimento.

Padre Martin, com suas palavras, recordava que hoje em dia, muitos de nós esquecem de Deus e fazem acordos com o diabo, que nos atrai com as comodidades, a preguiça e do desejo de possuir mais do que de dar.

Toda a celebração não teria sido possível sem a escultura do o autor Martin Hudacek. Em suas mãos, tornou-se viva a matéria sem vida, o que nos ajuda a entender que, se algo sem vida pode tornar-se “vivo”, não temos o direito de matar a vida!

Cabe aqui dirigir uma palavra às mulheres que cometeram aborto, recordando as amáveis palavras do Beato João Paulo II na Encíclica Evangelium Vitae:

A Igreja está a par dos numerosos condicionamentos que poderiam ter influído sobre a vossa decisão, e não duvida que, em muitos casos, se tratou de uma decisão difícil, talvez dramática. Provavelmente a ferida no vosso espírito ainda não está curada. Na realidade, aquilo que aconteceu, foi e permanece profundamente injusto. Mas não vos deixeis cair no desânimo, nem percais a esperança.

Sabei, antes, compreender o que se verificou e interpretai-o em toda a sua verdade. Se não o fizestes ainda, abri-vos com humildade e confiança ao arrependimento: o Pai de toda a misericórdia espera-vos para vos oferecer o seu perdão e a sua paz no sacramento da Reconciliação.

Vocês se darão conta de que nada está perdido, e podereis pedir perdão também ao vosso filho que agora vive no Senhor.

Ajudadas pelo conselho e pela solidariedade de pessoas amigas e competentes, podereis contar-vos, com o vosso doloroso testemunho, entre os mais eloquentes defensores do direito de todos à vida. Através do vosso compromisso a favor da vida, coroado eventualmente com o nascimento de novos filhos e exercido através do acolhimento e atenção a quem está mais carecido de solidariedade, sereis artífices de um novo modo de olhar a vida do homem.

Pe. Marcelo José Sampaio

Don Stefano Haulik

Fonte: www.kdh.sk/novinkypresov/pomnik-nenarodenym-detom

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

maradentro@maradentro.com.br

(+55) 17 3222-4436

Newsletter

Receba as notícias no seu e-mail