Comunidade Católica Mar a Dentro

O Sacerdote como ministro da misericórdia de Deus

O Beato João Paulo II afirmou em sua Encíclica Dives in Misericordia que a verdade revelada por Cristo a respeito de Deus, Pai das Misericórdias, permite-nos vê-Lo particularmente próximo do homem, sobretudo quando este sofre, quando é ameaçado no próprio coração da sua existência e da sua dignidade. Afirma ainda que na atual situação da Igreja e do mundo, muitos homens e muitos ambientes, guiados por vivo sentido de fé, voltam-se quase espontaneamente para a misericórdia de Deus, e são impelidos a fazê-lo certamente pelo próprio Cristo. Dentre esses, o Espírito suscita ainda hoje homens que desejam viver a vocação sacerdotal, como ministros da misericórdia de Deus.

As pessoas desejam encontrar no sacerdote um homem de Deus, repleto da sua misericórdia, que age como ele ensinou: “sede misericordiosos como o vosso Pai do céu é misericordioso” (Lc 6,36). O sacerdote deve, assim, constantemente olhar para o Mestre, deve procurar mais e mais se configurar com o Mestre. No serviço eclesial do ministro ordenado, é o próprio Cristo que se faz presente na sua Igreja, enquanto Pastor do Rebanho, Cabeça de seu Corpo Místico, que é a própria Igreja.

Quantas pessoas caídas à beira do caminho, excluídas da sociedade como os leprosos no tempo de Jesus, longe do redil como ovelhas feridas e desgarradas, escravizadas por uma vida no pecado que conduz à morte, outros tantos cegos, surdos, mudos… Na pessoa do ministro ordenado, o Bom Pastor se compadece deste povo que tem sede de vida e esperança. Porém, como resgatá-las ao bom caminho? Nos dias atuais, como tornar mais evidente o exercício da misericórdia por meio do sacerdote? É necessário, sem dúvida, adentrar no coração do Senhor, cheio de misericórdia e deixar-se impregnar desta mesma misericórdia e espalhá-la pelo mundo. Através do exercício do seu ministério no anuncio da Palavra de Deus e sobretudo na Eucaristia, no Sacramento da Reconciliação e da Unção dos Enfermos e demais sacramentos, cumprindo o mandamento do amor (cf.Jo 15,17). É ouvindo a voz do Bom Pastor e pondo em prática, com fidelidade, o que ele como Bom Mestre e Senhor ensina, que aqueles que se consagram ao serviço sacerdotal se tornam reflexo da misericórdia de Deus.

“O homem alcança o amor misericordioso de Deus e a sua misericórdia, na medida em que ele próprio se transforma interiormente, segundo o espírito de amor para com o próximo”.
Beato João Paulo II, Dives in Misericordia 14

Nesta Quinta-feira Santa, dia em que celebramos a instituição do ministério sacerdotal, nos alegramos pelo grande dom que é a vida de cada sacerdote para a Igreja, e rezamos para que eles sejam os primeiros a experimentar e testemunhar a Infinita Misericórdia de Deus ao mundo.

Diácono Gildásio Vilanova
Missão de São Paulo

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

maradentro@maradentro.com.br

(+55) 17 3222-4436

Newsletter

Receba as notícias no seu e-mail